Seremos todos “Flex”?



Acabei de ler um artigo de um conhecido médico italiano que defende a teoria de que a humanidade caminha para o bissexualismo, pois em virtude da evolução da espécie, o homem está tendo (desde o pós guerra) uma diminuição do hormônio masculino e nós mulheres com uma vida cada vez mais ativa e dinâmica, estamos mais agressivas (também com uma diminuição do hormônio feminino) e daqui a algumas gerações poderemos não ter a “urgência” da reprodução e sim a necessidade de relações mais amorosas e ou sexuais com ambos os sexos.


Teorias a parte, vemos no dia a dia cada vez mais pessoas “ saindo do armário”, assumindo seus desejos e opções, mas sabemos que ainda não é um caminho tranquilo, exige coragem.


Alguns até fazem a opção de uma vida dupla, para a sociedade um comportamento padrão e as escondidas a satisfação de seus prazeres e fantasias. O fazem ou por medo das consequências ou simplesmente porque uma vida dupla teria seu fascínio e excitação.

Vivemos uma época de muitos estímulos e uma procura crescente por novidades (não causa mais espanto adolescentes heterossexuais meninas se beijando nas baladas).


Será essa “ flexibilidade” um modismo passageiro? Ou como defendem alguns biólogos, desde que o mundo é mundo, no reino animal, o homossexualismo e bissexualismo ocorrem naturalmente.



Mas somos humanos, pensamos, escolhemos, nos culpamos e nos questionamos sobre o certo e o errado.


Queremos prazer e nos divertir tbem….


Ampliar horizontes….


Só não nos cabe escolher pelo outro, nem mesmo se este outro é nosso parceiro, filho ou qq pessoa querida. Não, no amor só cabe a aceitação….


Talvez com essa “ flexibilidade” tenhamos mais chances de encontrar um parceiro amoroso e ou sexual, com sorte os dois. Não sei…


Só me vem à mente aquela famosa frase: “Tudo vale a pena, se a mente não é pequena”


Sol CRS 89318



2 visualizações